Participação de Fraude

As Seguradoras Ocidental Vida, Ocidental Não Vida, Médis e a Sociedade Gestora de Fundos de Pensões apoiam e estão apostadas, para e de forma intransigente, implementar todos os mecanismos e procedimentos que sejam garantia de uma luta efetiva contra a Fraude.

Neste âmbito, têm vindo a implementar um conjunto significativo de medidas devidamente identificadas, designadamente ao nível da existência de uma Política Anti-Fraude, com vista a, não só reduzir a probabilidade de ocorrência, como também a mitigar os impactos de eventuais situações fraudulentas.

Atendendo às consequências que as mesmas possam representar a nível reputacional, bem como nos processos de negócio com perdas reais ou potenciais e ainda aos efeitos significativos na determinação dos prémios de seguros aplicáveis, entendemos ser especialmente relevante este propósito.

Umas das medidas adotadas, em linha com o definido na Norma Regulamentar nº. 10/2009-R, de 25 de junho, do Instituto de Seguros de Portugal (ISP), atual Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), consubstancia-se na implementação de canais adequados de comunicação e de reporte que permitam a qualquer Cliente ou Terceiro, sob absoluta confidencialidade ou anonimato, se tal for pretendido, comunicar à(s) Seguradora(s), a mera suspeita, a tentativa ou a prática de uma Fraude de que tenha conhecimento, desde que existam factos que indiciem uma determinada situação como fraudulenta.

Para o efeito, qualquer interessado poderá assim preencher o formulário disponibilizado nos vários sites das Seguradoras e da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões especificamente destinados à participação de fraude.

Em todas as comunicações recebidas, cada uma das Seguradoras e a Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, compromete-se a analisar qualquer facto relatado, em estrita observância das normas legais e regulamentares aplicáveis.